menu
Topo

Horóscopo

Novembro de 2018: governo na berlinda e tensão no campo financeiro

Barbara Abramo

Da Universa, em São Paulo

01/11/2018 00h00

Mês movimentado por novidades astrológicas, novembro já chega com oscilações entre Vênus e Urano. Os dois astros mantêm oposição até o final do mês, deixando tudo com um toque de tensão e trazendo surpresas no campo financeiro. Vênus em Libra, retrógrada até o dia 16, sinaliza uma revisão de associações e negociações entre partidos, além de alianças políticas. Durante todo o mês teremos idas e vindas nesse campo.

Enquanto Urano rompe com negociações, Vênus quer negociar. Por isso, a dinâmica política ficará em destaque em todo o mês de novembro. Essa oposição terá reflexos na Bolsa, no valor do dólar, nas transações comerciais internas e externas. Embora seja um aspecto mundial, no Brasil tem a particularidade de acrescentar um grau a mais de incertezas para investidores – o mercado irá se ressentir.

Veja também

Se na primeira semana Sol e Netuno em sintonia criam um clima de misticismo e religiosidade mesclada com fantasias, que terá seus reflexos na política, a Lua nova em Escorpião no dia 7 traz o reforço dessas fantasias.

Das mais importantes e impactantes para o Brasil, a lunação em Escorpião ocorre no grau 15, ponto sensível do mapa astral do Brasil (o de 07/09/1822). É o governo que fica na berlinda, assim como todas as questões do governar e do administrar. Vênus e Marte em trígono em signos de elemento ar enfatizam as negociações e os acordos, então, a partir dessa Lua nova do dia 7, toda a política brasileira se dará em torno do tema dos acordos, dos eixos de negociação, focalizando a imagem e a reputação do governo federal.

Vênus e Urano são a chave para novembro. Devido a oscilações e surpresas no panorama mundial, reflexos nas finanças, cá no Brasil, impactarão as negociações e os acordos políticos.

A novidade de novembro fica por conta de Júpiter, astro da justiça e da lei. Entrando em Sagitário no dia 9 para uma temporada até dezembro de 2019, o planeta promete ajustar desvios e descalabros cometidos ‘em nome da justiça’. Júpiter em Escorpião foi a justiça como instrumento da vingança e do rancor. Agora, porém, a justiça vem a cavalo – no signo do Centauro – e colocará em perspectiva mais clara certos desmandos ocorridos em nome da lei.

As fake news e as fofocas fazem seu péssimo trabalho desinformativo no miolo do mês, um momento delicado em que todos precisarão estar alertas para informações recebidas. Ataques cibernéticos podem ocorrer.

No dia 15, Marte ingressa em Peixes, reforçando a tendência religiosa e mística que tem dado o tom do cenário político nacional. Ótimo para a temporada de esportes aquáticos, para a música e o cinema nacionais. Marte em Peixes tensiona Júpiter entre os dias 18 e 20, quando a distorção e as imagens falsas contrapõem a justiça e as leis. Brigas entre facções, tendências e grupos políticos devem se acentuar, tudo com forte caráter religioso.

Vênus, que andava retrógrada desde o mês passado, entra em movimento direto no dia 16. No mesmo dia, Mercúrio, das palavras, entra em retrogradação em Sagitário. Negociações que andavam bem ficam tumultuadas por declarações mal pensadas e ríspidas, em um ambiente de instabilidade, desconfiança e indeterminação. Quase que levando por água abaixo todo um esforço feito por negociações justas até então. Para a política nacional, o momento será delicado.

A Lua cheia em Gêmeos, no dia 23, aponta o momento em que as oposições ao governo federal começam a se emergir com mais força e articulação. Daí até o fim do mês, o clima pode ficar pesado.

A paz pode vir entre os dias 24 e 27, com Sol e Júpiter em conjunção no signo da justiça, Libra. Um sinal para lá de positivo no mundo todo, e que brinda o Brasil com uma chance de acordos realmente dignos.

No dia 24, Netuno retoma seu movimento direto, reforçando a onda de misticismo, religiosidade e fantasia ligadas à política nacional. Lembramos que Netuno em Peixes vai se opondo a pontos delicados do mapa astral do Brasil até abril de 2019. Desorientação, desencanto e enganos chegam com força, assim como epidemias. Netuno é a bruma que cega os olhos. A essa altura, é preciso reforçar o que já viemos explicando há certo tempo. As oscilações e turbulências pelas quais o Brasil passará até 2020 podem ser rastreadas tanto pelo lento trânsito de desencantos e desorientação de Netuno, quanto pelas surpresas e reviravoltas no campo da educação, informação e mídia que abalarão o governo até lá. Em foco, a assessoria das Câmaras e Senado, representado por Urano em Touro em oposição ao planeta Marte posicionado no mapa astral do Brasil.

Um momento de tensão em que ódios podem aflorar ocorre entre os dias 26 e 28, com Mercúrio, Marte e Saturno reforçando a agressividade, declarações tóxicas e demonstrações de força fora de hora.

A Lua minguante em Virgem encerra um mês recortado de idas e vindas no campo da política. Sol e Marte em tensão mantêm as tensões nessas relações, colocando em cheque partidos e tendências para o futuro.

Mais Horóscopo