menu
Topo

Horóscopo

Agosto de 2018: revisão de valores e novos negócios em alerta

Barbara Abramo

Da Universa, em São Paulo

01/08/2018 00h00

A minguante lunar em Touro traz um clima mais ameno ao começo de agosto. Mês de má fama, abre assim de mansinho, trazendo estabilidade a um cenário astral um tanto tenso e explosivo. Nos primeiros dias, aspectos delicados entre Marte e Urano preconizam avarias e problemas em aeronaves, comunicação em geral – incluindo aí problemas eletroeletrônicos. Ao mesmo tempo, promessas e esperanças exageradas – por parte de economistas e políticos – atrapalham a mente dos cidadãos brasileiros.

Veja também: 

Na segunda semana, os acordos e negociações prometem algo melhor. Com Vênus em Libra a partir do dia 6, a disposição de buscar semelhanças e negociar será maior do que o vício de tirar vantagem de tudo e todos, que tanto mal faz ao país. No dia seguinte, Marte e Vênus em ótimo aspecto prometem destaque para esportes, cultura e moda, com algumas mulheres brilhando mais no cenário nacional. Um único dia tenso para os negócios e investidores – 9 de agosto – pede atenção com as finanças em geral. Aí, Vênus e Saturno em tensão dificultam investimentos e aplicações de curto prazo, ou de risco. Entre 10 e 11, também, Mercúrio e Júpiter apontam dificuldades em relação ao comércio exterior, quando o Brasil poderá perder uma posição, ou ter de se submeter a condições não tão ideais. Não será um bom momento para iniciar novos negócios. No campo político, entre 9 e 11 de agosto, uma esperada aliança poderá ser adiada ou mesmo nem ocorrer.

Na segunda semana, Saturno e Urano reforçam as iniciativas que visem consolidação e solidez, mas que levem em conta novos valores e encampem tecnologia de ponta. Nos campos da medicina, biologia e agricultura, este aspecto promete avanços globais. É favorável ao Brasil, e também aponta novidades nas Câmaras e no Senado, com novas composições se formando. Ideias de renovação política podem ter um pouco mais de solidez a partir daí.

O ponto alto de agosto ocorre no dia do eclipse solar que marca a lunação em Leão: 11 de agosto. Será um momento marcante do ponto de vista simbólico, mas talvez não aconteça nada de muito expressivo no Brasil, a não ser reviravoltas em acordos comerciais, relações internacionais e na diplomacia e politica externa. Este eclipse solar preconiza um abalo e necessidade de revisão de valores que pautam os interesses brasileiros no cenário internacional. Momento oportuno para o Brasil negociar com sabedoria, humildade e espírito de cooperação com todos os países!

Muita gente teme um eclipse – isso está registrado na nossa memória ancestral, do tempo em que, nas cavernas, ainda mal saídos das árvores e convivendo com espécies depois extintas, como nossos primos Neandertais, temíamos os fenômenos da natureza. Mas foram os astrólogos/astrônomos da Babilônia, muitos milênios depois do tempo das cavernas – e que eram chamados de caldeus – que começaram a registrar eventos na história em correlação a fenômenos celestes. E um desses registros, que data de milênios, preconiza que eclipse solares em Leão anunciam o declínio de um chefe, de uma liderança reconhecida por muitos. Pois bem: teremos a chance de comprovar ou rejeitar essa regrinha antiquíssima em agosto. Cerca de três dias antes e depois do eclipse exato, que ocorrerá em 11 de agosto, poderemos observar.

Na mesma semana do eclipse, Marte retrogrado volta a Capricórnio, acionando disputas nos altos escalões do Governo Federal e sinalizando confrontos para os políticos conservadores. Em seguida, Júpiter e Netuno – entre 15 e 22 - trazem inspiração, arte e cultura para o brasileiro se divertir. Um momento de expansão do comércio marítimo e das conquistas espaciais também.

A Lua crescente em Escorpião, no dia 18, lança o foco novamente sobre as atitudes, capacidades e desempenho do Governo Federal. Um momento de desconfiança, competições e lutas pelo poder tem lugar.

A partir de 19 de agosto as comunicações se tornam mais claras e tudo flui melhor, com Mercúrio retomando movimento direto em 11º Leão. Em seguida, o Sol entra em Virgem, inaugurando um dos períodos mais benéficos para quem deseja sinceramente contribuir com melhorias para o país, que vai de 23 de agosto a 24 setembro. O Brasil nasceu com o Sol em Virgem, e toda vez que o Sol atravessa esse signo, anualmente, o senso crítico aumenta sobre como melhorar as coisas por aqui.

Finalmente, a última semana de agosto é das melhores: o Sol entra em sintonia com Urano e Saturno, preconizando modificações, melhorias, mudanças e novidades entre Câmara, Senado e Governo Federal. Pode ser um momento estratégico para definição de metas futuras, votação de leis e medidas e estudo sobre alocação de recursos para diversas áreas do país. As áreas mais necessitadas são educação e saúde – esta última um assunto super conectado com Virgem!

Oscilações financeiras passageiras nos dias 26 e 27 podem abalar os investidores da Bolsa de Valores, sendo que o dólar e o euro podem aumentar devido a problemas políticos internacionais.

No dia 27, finalmente Marte retoma movimento direto, ainda em Capricórnio. O astro da competição e da luta pela vida somente transitará novamente Aquário em setembro. Até lá, muitas iniciativas pensadas no mês de julho último serão revistas e "repaginadas". Assuntos ligados a medicina, médicos, cirurgiões e crimes passionais obterão solução se ainda estiverem obscuros.

Para dar um fecho de ouro de benção e beleza, a Lua cheia em Peixes no dia 26 levanta o astral geral, com destaque para tudo o que o povo brasileiro sabe fazer de bom, bonito e saudável.

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!

Mais Horóscopo