"Eu sou Mara"

À frente do Fofocalizando, ela diz que está na lista vip de Silvio, fala de rixas nos bastidores e de adoção

Chico Felitti da Universa
Carine Wallauer/UOL

Nos anos 1980, menina e chegada fazia pouco da Bahia, Mara virou a Maravilha, num dos programas infantis mais assistidos - e criticados - da época. Na década de 2000, bombou como cantora gospel; gravou 500 músicas e 12 DVDs religiosos. Hoje, aos 50 anos, está rica, de volta ao SBT num programa de fofocas que tem boa audiência, e à espera de um filhinho do coração.  

Nesta entrevista, Mara reflete sobre seu passado profissional e se mostra cheia de expectativa para o futuro. Fala que primeiro vem Jesus, depois vem Silvio Santos”, que nunca brigou com Xuxa ou Angélica, e que quando olham feio para ela, a resposta é: “Eu sou Mara Maravilha’”.

Carine Wallauer/UOL Carine Wallauer/UOL

"Não gosto de fofoca"

Mara foi de vidraça a pedra quando aceitou fazer parte de um programa vespertino de mexericos, o “Fofocalizando”; no mesmo SBT que, nos anos 1980, ainda uma garota e vinda da Bahia, ela bombou com o “Mara Maravilha”. A apresentadora, que diz sofrer com a fofocaiada sobre sua vida, futrica a vida alheia, agora, profissionalmente. E com um sucesso considerável. O “Fofocalizando”, que ela apresenta junto com alguns fofoqueiros clássicos da TV, caso de Décio Piccinini e Leão Lobo (também fazem parte do casting Lívia Andrade, Mamma Bruschetta e o jornalista Leo Dias), tem alcançado o segundo lugar em audiência. E haja fofoca: o programa passa de segunda a sexta, às 3 da tarde.

“Como queria muito a oportunidade (de voltar à TV), eu a agarrei. É delicado, porque não faz parte do meu eu. Não gosto de fofoca, de perder tempo com a vida dos outros”, informa Mara. Mas, como se disse incumbida de aumentar a audiência do programa, que patinou antes de conquistar a vice-liderança no Ibope, ela foi de cabeça.

Depois de algumas agulhadas em famosos, Mara diz que tem “procurado ser mais criteriosa com os comentários”. E também mais boazinha. “Se tenho que falar que a roupa do artista é brega, eu falo. Só procuro não deixar mágoa.”

A personagem, o tipo de trabalho que ela faz e a praga dos tempos fazem com que Mara seja alvo de haters, aquelas pessoas que falam mal dela nas redes sociais. Mas ela diz fazer do limão “uma mousse, um bolo ou uma caipirinha”: “Escrevem coisas absurdas. Posso até não gostar, mas sou grata: os haters são meus aliados. Quanto mais eles falam de mim, mais me promovem”. E vaticina: “Esse mundo de internet é isso, é comentário, é clicagem”.

Carine Wallauer/UOL
Carine Wallauer/UOL Carine Wallauer/UOL

"Melhor que eu, não tem"

Para Mara, o “patrão” é o maior homem do mundo - “Sempre estive na lista do amor, na lista VIP do Silvio Santos” - ou, ao menos, o segundo: “Na escola da vida, tenho Jesus e depois Silvio Santos e o bispo Edir Macedo.” E explica: “O bispo é por causa da igreja”. Por 20 anos, Mara cantou e pregou em igrejas como a Universal do Reino de Deus. “Meu DNA é muito deles dois”.

Nos últimos meses, a consideração a Silvio Santos pareceu ser correspondida. O apresentador a convidou para participar do quadro “Jogo dos Pontinhos” no seu programa. “No palco, podem ter pessoas que fazem tão bem quanto eu o show do Silvio. Mas, melhor do que eu, não tem. Tem química no palco. Silvio Santos e Mara Maravilha dá liga.”

Brincando, Silvio já chamou Mara de fanática no ar. “Eu digo para ele: ‘O senhor não precisa se preocupar. Primeiro vem Jesus, depois vem o senhor’.”

A fé é o que Mara diz ter de mais impoprtante. “Eu sou a Mara que cantava: “Tuiuiu iu iu. Sou curumim iê iê", a Mara do "Não faz mal, eu tô carente, mas eu tô legal", a Mara do "Liga pra mim, não demora". Agora, o tesouro maior que eu tenho, realmente, é a minha fé”.

"Sempre estive na lista do amor, na lista VIP do Silvio Santos. Mas pra mim primeiro vem Jesus, depois vem Silvio e o Bispo Edir Macedo"

Mara Maravilha

Carine Wallauer/UOL
Carine Wallauer/UOL Carine Wallauer/UOL

Magia Negra e ciúme nos bastidores

Da época em que era apenas vítima de fofocas, e não algoz, Mara guarda na mente as muitas notícias apontando desavenças com as outras apresentadoras infantis. Dizia-se, por exemplo, que uma havia dado o nome da outra para a cadelinha de estimação e que a outra tinha recorrido a rituais de magia negra para lesar a concorrente.

Mais recentemente, outros fofoqueiros começaram a dizer que Mara não se dá com Livia Andrade, sua colega no sofá do “Fofocalizando”. Ela nega: “Nunca briguei com ela”, esclarece.  “Dizem que mulher briga com outra mulher por causa de homem. Nunca aconteceu comigo. Não tenho problema de lidar com mulher. Nem com homem. Tenho problema de lidar com gente mau caráter.”

E coloca um ponto final no assunto com uma piada: “Mas convenhamos que a Helen Ganzarolli não precisava ser tão bonita, precisava?”, referindo-se a apresentadora do “Jogo dos Pontinhos”.

Carine Wallauer/UOL
Carine Wallauer/UOL Carine Wallauer/UOL

"Sou que nem o apóstolo Paulo. Sei viver os altos e sei viver os baixos"

Vinte anos sem emprego fixo na televisão aberta não arruinaram as finanças de Mara, que mora em um condomínio de casas que custam milhões e tem moradores famosos como Zezé di Camargo. “Sou que nem o apóstolo Paulo. Sei viver os altos e sei viver os baixos”, diz ela, uma felizarda pelos “altos” serem muitíssimo mais expressivos. A TV não é sua única fonte de renda. “Até hoje, ganho bastante com direitos autorais”, diz ela, que tem gravadas 500 músicas religiosas, uma imobiliária, uma linha de roupas gospel e faz diversos comerciais. “Amo fazer propaganda de eletrodoméstico, panela e produto de limpeza”. E mais: “Amo influenciar”. 

E de mais uma tanto de outras coisas. Os anéis e brincos que ela usa nessas fotos são da marca que a havia contratado semanas antes. Ela insiste para que as peças fiquem em evidência nas imagens. “Não faria propaganda de bebida, de cigarro, ou de algo mais apelativo”, garante Mara.

"A Fátima Bernardes ganhou de mim"

"Fui para 'A Fazenda' falar que Deus é bom e ganhar todo mundo para Jesus. Chegou lá, eu briguei com todo o mundo"

Mara Maravilha

Carine Wallauer/UOL

"Meu filho está chegando"

Carine Wallauer/UOL Carine Wallauer/UOL

Dois novos amores

Depois de dois casamentos e duas separações, Mara está namorando. “Ele é um amor na minha vida. É muito mais novo que eu. Se bem que a Fátima Bernardes ganhou de mim. O pódio é da Fátima”, brinca. “Casei duas vezes. O primeiro marido foi muito bacana. O segundo, pula o capítulo, de preferência, rasga”.

Com a participação do namorado, o músico Gabriel Tores, Mara se preparar para ser mãe de um filho do coração. “Tenho certeza que vou ser uma boa mãe. Não vou esquecer meu filho em banheira, nem prender no carro e, principalmente, quero ensinar pra ele o valor da eternidade, que ele vai estar aqui só de passagem”.

Aos 50 anos, prestes a ser mãe, de volta à TV e de coração cheio, Mara informa: “Agora você vai ver quem é Maravilha. A brincadeira está ficando boa agora”.

Carine Wallauer/UOL

Confira a versão estendida da entrevista:

Curtiu? Compartilhe.

Topo